quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Ministério do Turismo Reitera Cuidados Necessários contra Febre Amarela

O Ministério do Turismo, em atenção às suspeitas de febre amarela registradas em alguns pontos turísticos do Brasil, reitera as recomendações divulgadas pelo Ministério da Saúde. Como a população de residência das áreas de risco tem tido alta taxa de vacinação contra a febre amarela, a maior possibilidade de transmissão ocorre para indivíduos que não residem nestas áreas, incluindo os visitantes estrangeiros, principalmente os que visitam áreas de matas. Por isso, a vacinação contra a febre amarela silvestre deve ser feita pelos turistas brasileiros e pelos visitantes estrangeiros com destino ao Brasil. De acordo com nota técnica divulgada pelo Ministério da Saúde, a vacinação deve ser feita, principalmente, por turistas que viajarem para todos os estados e municípios das regiões Norte e Centro-Oeste, para todos os municípios do Maranhão e de Minas Gerais, para os municípios localizados ao sul do Piauí, oeste e sul da Bahia, norte do Espírito Santo, noroeste de São Paulo e oeste dos estados do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Para se vacinar, os turistas devem procurar os postos de saúde ou os postos da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nos aeroportos, com antecedência mínima de dez dias da data da partida. A mesma nota do Ministério da Saúde afirma que quase todo o litoral brasileiro é considerado sem risco de contração da doença. Essa área vai do Rio Grande do Sul ao Piauí, com exceção do norte do Espírito Santo e do sul da Bahia. As autoridades sanitárias do país recomendam a vacinação contra a febre amarela para todos os viajantes internacionais. A vacina é contra-indicada em crianças com menos de seis meses de idade, para pessoas com o sistema imunológico comprometido por doença (neoplasia, AIDS ou infecção pelo HIV) ou pelo uso de drogas imunossupressoras, radioterapia e para pessoas com história de reação anafilática relacionada a ovo de galinha e seus derivados. Gestação em qualquer fase constitui contra-indicação relativa, devendo ser avaliado cada caso. São condições de adiamento da vacinação doenças agudas febris moderadas ou graves até a resolução do quadro. Para indivíduos soropositivos para HIV e que se desloquem para áreas de risco de transmissão de febre amarela deve ser indicada a vacinação levando-se em conta a contagem de CD4 e carga viral.

Fonte:
Ministério do Turismo. Ministério do Turismo Reitera Cuidados Necessários contra Febre Amarela. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/ Acesso em 10 jan 2007.

Um comentário:

Ivoninha disse...

As informações contidas nesta matéria são extremamente importantes e elucidativas. Gostei muito. Bjs Ivone