quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Mercado Borbulhante

O consumo de espumantes finos (feitos com uva européia) disparou no Brasil. E a expansão é proveciente dos rótulos nacionais. De cada três garrafas vendidas hoje, apenas uma é importada.
- Nunca tinha visto queda na importação. Este ano ano caiu 26%. É sinal de reconhecimento da qualidade do espumante nacional. - diz Angelo Salton Neto, presidente da vinícola de mesmo nome.
A produção nacional cresceu 15% este ano. A procura é maior entre os rótulos de R$19,00 a R$29,00.
Para atender à demanda, a Salton reforçou a capacidade instalada com seis tanques de 60 mil litros. A produção subiu 20% e Angelo projeta fechar 2007 com 45% do mercado de espumantes, contra 35% no ano passado. Para 2008, já há outros quatro tanques encomendados. O setor aposta no aumento do consumo ao longo do ano.
- Há três anos, o período de festas respondia por 80% das vendas. Atualmente esse valor está entre 35% a 40% - diz o diretor de vendas da Miolo, Márcio Bonilha.
A Miolo projeta alta de 30 a 40% no faturamento com a bebida. No início do mês, a vinícola já tinha vendido toda a produção de 360 mil garrafas de sua dupla de espumantes, terranova e Demi-séc.

Fonte: Negócios & Cia. Jornal O Globo.

Um comentário:

... disse...

Olá Dra. Cristiane, tudo bem?
Gostei demais das matérias sobre vinho... eu sou daquele que ama vinhos, mas não sabe muito... isso aqui será deveras interessante... rs... alias, eu gosto de bebida em geral...
Beijão, se cuida!!!